Comportamento autista, imagen de diferentes crianças neurotípicas

Como Lidar Com o Comportamento Inadequado do seu Filho Autista [5 Dicas Comprobadas]

Last Updated on 3 dezembro, 2021 by Enoc Sejas

Comportamento autista, como disciplinar uma criança autistas?

Fala a verdade: você pode até ter uma ideia de como colocar limites em uma criança neurotípica. Mas quando se trata de disciplinar uma criança autista não faz ideia do que ser feito?

Eu entendo, por anos passei pelo mesmo problema.

Por exemplo, vamos imaginar um daqueles momentos que você tanto teme.

As férias chegaram e a sua casa está cheia de parentes comendo e conversando. De repente, algo pequeno e duro bate na sua bochecha. Em seguida na sua cabeça.

Seu filho de dez anos está jogando giz de cera em você. Então, ele pega um punhado de giz de cera de um dos primos e joga todos em você, enquanto as suas visitas observam.

O que você faz?

A boa notícia é que existem métodos muito bem-sucedidos para lidar com esse tipo de situação.

Neste artigo, você irá conhecer alguns métodos e aprender como resolver de uma vez por todas a falta de disciplina de seu filho com TEA.

Compreendendo o papel da ABA

É importante entender, desde o início, que a ABA [Analise do Comportamento Aplicada] não é um sistema de disciplina, nem se concentra em disciplina.

Em vez disso, a ABA procura entender o motivo por trás dos comportamentos indesejáveis e como dar a seu filho as ferramentas necessárias para começar a escolher os comportamentos preferidos.

Isso soa como mais trabalho do que uma palmada rápida ou castigo? Sim. E é.

Mas, o retorno a longo prazo será muito maior.

Cada criança é única e, dependendo de onde seu filho se encontrar no espectro autista, os métodos precisarão ser ajustados para atender às necessidades de cada criança.

Por tanto, use essa informação como ajuda suplementar para disciplinar uma criança autista enquanto trabalha com um terapeuta ABA ou BCBA licenciado.

Como corrigir o comportamento problemático e disciplinar uma criança autista

Dica 1. Reconhecer

Os comportamentos problemáticos consistem geralmente da criança tentando comunicar algo.

Por isso, simplesmente “punir” o comportamento não trará resultados em longo prazo.

Uma criança com autismo geralmente não responderá á autoridade da mesma forma que uma criança neurotípica.

Por tanto, muitos métodos tradicionais, simplesmente não traíram os resultados esperados.

Por exemplo, reações fortes da sua parte provavelmente reforçarão o comportamento ao invés de evitá-lo.

Se a sua voz ficar mais alta, o seu rosto ficar vermelho ou você mexer com os braços, de repente você se tornará muito interessante.

Dessa forma, em vez de se sentir castigado, seu filho poderá ficar curioso. Então, buscará repetir o comportamento para ver que tipo de reação você terá em seguida.

Dica 2. Reformular

Sua interpretação do “porque” por trás do comportamento pode estar aumentando a sua própria raiva… E pode estar errada.

Nesse sentido, é possível que o que você enxergue como desrespeitoso possa, na verdade, ser a reação do seu filho a dor física ou à incapacidade de expressar claramente necessidades legítimas.

Dica 3. Reforçar e punir

Comportamentos têm consequências.

Essa é a ração principal do porquê, você precisará criar um plano de comportamento que inclua o que nós, da comunidade professional da ABA, chamamos de reforços e punições para começar o processo de mudança.

Assim, reforçadores são consequências que aumentam a probabilidade do comportamento se repetir.

Se o seu filho souber que se ele se comportar no supermercado poderá brincar com seu brinquedo favorito no carro de volta para casa, o brinquedo será a consequência reforçadora.

Dessa forma, ele aumenta o comportamento positivo.

Da mesma forma, punições são consequências que tornam o seu filho menos propenso a repetir um comportamento.

Por exemplo, se o seu filho bater no irmão enquanto brinca, você deverá remover o acesso ao que ele quer: brinquedos e um companheiro para brincar.

Dica 4. Repetir

Uma vez que o seu plano esteja em vigor, siga adiante.

Contudo, a consistência é a chave para disciplinar uma criança autistas, então você precisará repetir as mesmas etapas várias vezes antes de começar a ver uma mudança.

No início, as coisas provavelmente vão piorar antes de melhorarem, más se você persistir, funcionará.

Dica 5. Solicitação

Como o autismo tem raízes neurológicas, algumas sensações são realmente dolorosas para o seu filho.

Sendo assim, é provável que o comportamento do seu filho seja uma reação visceral a algum tipo de gatilho. Portanto, vale a pena esforçar-se para tentar definir o que poderá ser esse gatilho.

Então, a solução para um grande colapso poderá ser tão simples quanto pedir para a tia Aghata evitar o uso de perfume quando ela visitar.

Mas o que faço agora?

Ignorar

Se você sabe que o comportamento não é uma resposta à dor física e o comportamento não é prejudicial, procure ignorá-lo.

Por exemplo, se o seu filho estiver jogando giz de cera, levante-se e saia da sala.

Isso, porque qualquer disciplina verbal ou castigo, na verdade, reforçará o que seu filho provavelmente queria… Sua atenção.

Depois de algum tempo longe da criança, volte para a sala e ofereça a sua presença.

Remover

Até você começar a praticar os princípios da ABA em casa e preparar e preparar para os próximos gatilhos, você poderá remover o seu filho da situação.

Isso pode significar que, em curto prazo, você saia do supermercado sem terminar a sua lista de compras ou que você leve o seu filho ao seu quarto até os visitantes irem embora.

Lembre-se… A ABA é totalmente voltada para as mudanças de longo prazo no comportamento, e, às vezes, as soluções de curto prazo só prolongam o processo de mudança.

Castigos físicos?

Para algumas crianças, o castigo é eficaz tanto em casa, quanto em público.

No entanto, o castigo é apenas parte da história e, por si só, não resultara em mudanças de longo prazo.

Por isso, palmadas são altamente desencorajadas quando se trabalha em disciplinar uma criança autista.

Por quê? Porque o seu filho aprenderá que quando outras pessoas fazem algo que ele não gosta, ele poderá responder fisicamente.

Dessa forma, isso pode fazer com que ele bata em outras crianças ou jogue pedras nos outros no parquinho quando estiver perturbado.

Além disso, as palmadas não levam em conta o motivo por trás do comportamento problemático do seu filho, que pode ser porque ele esteja realmente com dor ou experimentando uma necessidade válida.

Em vez disso, queremos dar aos nossos filhos as ferramentas para responder adequadamente à situação e pode nos dizer o que está errado.

Considerações finais

Aprender sobre a Análise do Comportamento Aplicada pode ajudar muito seu filho. Aqui no ACP nós oferecemos um curso de ABA voltado para pais de crianças e adolescentes com TEA.

Caso tenha ficado alguma dúvida sobre como você pode disciplinar uma criança autista, deixe seu comentário. Se você tiver alguma experiência para compartilhar conosco, também nos conte aqui embaixo.

Referências

CHAAD.Org. Relationships & Social Skills. Disponível em <https://chadd.org/for-adults/relationships-social-skills/> Acesso em 15 OUT 2021.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa